Como fazer uma gestão de riscos eficiente para investir?

Um dos aspectos mais importantes para se tornar um investidor de sucesso, como eu já falei no artigo anterior, é entender que, mais importante do que ganhar dinheiro investindo na bolsa de valores é conseguir evitar perder dinheiro. Eu já expliquei brevemente o motivo disso no artigo passado, mas vou dar um exemplo um pouco mais explícito dessa vez. Vamos imaginar, por hipótese, que você possua 1000 reais para investir no mercado financeiro. Muitas pessoas podem acreditar que o mais importante é que você consiga multiplicar esta quantia no menor espaço de tempo possível mas, na realidade, o que realmente é necessário fazer é formular um bom plano de gestão de risco para evitar possíveis perdas financeiras. Vamos analisar melhor agora como faríamos isso na prática.

investidor de sucesso

 

Investindo na bolsa com um bom plano de investimentos é possível sim ter excelentes resultados, mas somente se você formular um bom plano de gestão de risco. Vamos pegar o exemplo anterior, no caso você possuindo 1000 reais disponíveis para investir na bolsa de valores. Se você perder 50% desse dinheiro devido a uma decisão errada, você irá ficar com 500 reais. Nesse caso, precisará obter um ganho de 100% para conseguir voltar aos seus mil reais originais. Se você perder 800 reais, ou seja 80% do seu capital inicial, então será necessário ter um ganho de absurdos 400% simplesmente para voltar ao seu patamar inicial. Só com este simples exemplo você já pode perceber o quanto é necessário ter um bom plano de gestão de riscos para evitar que eventuais perdas excessivas possam prejudicar os seus ganhos de maneira quase irreversível.

Mas como realizar esse plano. Bom, existem diversas formas e muitas delas relativamente complexas, porém, para começar você não precisa se preocupar com estas, podendo começar com um plano extremamente simples para evitar perdas excessivas: apenas adote uma regra de, antes de qualquer questionamento, simplesmente se desfazer de uma posição quando ela representar uma queda de mais de 2% do seu capital total.